aves Aves

alimentação e nutrição

filhotes de aves: cuidados com a alimentação

filhotes de aves: cuidados com a alimentação

by dr fala Dr. Fala

293 post view

Conhecido como período de renovação, a primavera produz manifestações da natureza que reage ao fim da seca com o aumento da umidade e temperatura. As mudanças no clima interferem diretamente no comportamento das aves que, incentivadas pela riqueza de alimento, iniciam o período reprodutivo.

O fotoperíodo também é um fator ambiental muito importante na reprodução das aves, pois sincroniza as estações reprodutivas com a época ótima do ano para a sobrevivência da prole, sendo a duração do dia o que regula a dinâmica do ciclo sexual. Mesmo fortemente relacionado ao regime de chuvas e à alimentação, o período reprodutivo das aves pode variar. No Sul e Sudeste a época de reprodução é bem marcada e coincide com a primavera, já na região Norte, muitas espécies se reproduzem ao longo do ano. A complexidade em demarcar um período único se deve à enorme variedade de espécies de aves brasileiras e todas as suas exigências.

Nesse importante período não há dúvida que os pais desempenham papel vital no cuidado e alimentação dos filhotes, mas muitas vezes, por acidente ou até mesmo necessidade de sobrevivência, esse processo natural não ocorre. Oferecer alimento ao filhote é algo gratificante e concomitantemente muito delicado, pois requer dedicação, disciplina e cautela. Ao se deparar com um filhote necessitando de auxílio, algumas precauções relacionadas à alimentação deverão ser prestadas. Por isso, iremos abordar algumas medidas para enfrentar este prazeroso desafio.

Quais alimentos devemos fornecer?
Para alimentação manual dos filhotes, você pode contar com as papas Alcon, que são alimentos específicos e completos. Em sua composição apresentam enzimas digestivas, prebiótico, probióticos e nucleotídeos que aceleram o desenvolvimento do trato gastrointestinal e glândulas anexas das aves, antecipando a capacidade ideal de aproveitamento dos alimentos, além de elevar seu potencial imunológico.

São indicados para alimentação dos filhotes de pássaros e psitacídeos do nascimento ao desmame. A temperatura ideal para preparar a mistura (papa + água) e fornecer ao filhote é em torno de 38°C e a sua consistência varia de acordo com a idade das aves, indo de mais rala a mais espessa. Caso haja sobras da mistura, estas não podem ser guardadas para próxima refeição.

Em relação à quantidade a ser fornecida, pode ocorrer variações de um indivíduo para outro, mesmo sendo da mesma espécie, por isso, não é possível indicar a quantidade exata de papa a cada filhote. Já a frequência alimentar, deve-se pensar de modo inicial, em seis a oito refeições ao dia e ir diminuindo gradualmente.

Quais malefícios os alimentos não específicos oferecem?
O fornecimento de alimentos não específicos causam atonia e redução do peristaltismo intestinal. Papas caseiras, milharina, neston e várias outras misturas não são alimentos completos e não apresentam enzimas digestivas em sua composição, comprometendo a digestibilidade, além de conter lactose que é sabidamente prejudicial ao filhote.

Desta forma, o alimento não é digerido, ficando estagnado no inglúvio (papo) propiciando a fermentação e desenvolvimento de fungos. Vale destacar que esta é uma das principais causas de mortes de filhotes. Por isso, é essencial oferecer alimentos específicos para cada espécie, seguindo fielmente as recomendações realizadas nas embalagens dos produtos.

Até quando devemos utilizar a Papa?
Para os Passeriformes a papa deve ser fornecida como única fonte de alimento até aproximadamente 30 dias de vida. Já no caso de Psitacídeos, a papa deve ser fornecida como única fonte de alimento até aproximadamente 45 a 60 dias. A partir destas idades, recomendamos disponibilizar a papa para filhotes e o alimento Alcon extrusado específico para cada espécie, diminuindo gradativamente a quantidade de papa e aumentando a quantidade do alimento extrusado, até este perfazer 100% da dieta.

Além dos cuidados da alimentação, é indispensável manter os recintos higienizados, calmos e sem alterações bruscas de temperatura e umidade.

Lembre-se, esses pequenos são seres vivos extremamente delicados e cheios de vida. Cuidar de um filhote é perder medos, é ganhar amigos de penas, é aprender e compreender gratidões mudas, mas sempre sinceras.

Leve seu pet regularmente ao médico veterinário.
Alcon é tudo de bom!

Autor
Carlos Augusto Nicolino
Mestre e Doutor em Patologia Veterinária

Colaboradores
Max Ternero Cangani
Mestre em Microbiologia Agropecuária
Doutor em Zootecnia
Eva Schneider
Graduanda em Medicina Veterinária

Confira dicas de manejo e nutrição em Guia Pássaros e Psitacídeos
Dúvidas? Escreva para nosso Depto. Técnico


Agradecemos por seu feedback! Esta sua ação é muito importante para nós, pois nos inspira a continuar criando conteúdos interessantes e acessíveis, que possam lhe auxiliar cada vez mais a manter seu pet sempre saudável e feliz :)

subir