peixes Peixes

qualidade da água

algas no aquário

algas no aquário

by dr fala Dr. Fala

514 post view

1 curtiram

As algas se desenvolvem naturalmente em diversos tipos de ambientes e seu crescimento em aquários é um fato que praticamente todo aquarista, mais cedo ou mais tarde, vai enfrentar. Possivelmente você já se deparou com um aquário cheio de algas e percebeu que havia algo de errado, mas como elas apareceram ali sem terem sido convidadas?

O crescimento equilibrado de uma pequena quantidade de algas é perfeitamente normal e não prejudicial aos demais organismos do aquário, porém, quando multiplicam-se de forma descontrolada acabam se tornando um problema estético, trabalhoso e um dos principais motivos que levam as pessoas a desistirem desse hobby. No entanto, existem boas maneiras de controlar esse inconveniente e impedir que elas se espalhem de forma agressiva.

A expressão "algas" é basicamente um termo abrangente para um grande número de organismos fotossintetizantes com características peculiares, muito diferentes das plantas tradicionais e mais derivadas. Possuem uma ampla variedade de formas e são classificadas principalmente de acordo com os pigmentos que possuem e substâncias que armazenam. Verificar corretamente qual tipo de alga que existe em seu aquário é fundamental para entender seu desenvolvimento e poder confrontá-la.

Geralmente o excesso de algas surge quando o equilíbrio é perturbado ou ainda não foi estabelecido, sinalizando que alguma coisa está errada no sistema. Durante o período de ciclagem do aquário, o sistema biológico ainda não está estabilizado. Nessa fase é comum o surgimento de diatomáceas, um tipo de alga que é favorecida pela alta disponibilidade de silicatos que existem principalmente em aquários com areia de rio de substrato. É fundamental saber que não se combate algas somente combatendo os sintomas, é preciso encontrar as causas da proliferação e agir eliminando elas. Se as causas não forem eliminadas, as algas voltarão a aparecer.

De forma geral e resumida, as algas se desenvolvem pela presença de luz e nutrientes. Se houver um excesso desses fatores, as algas podem crescer nos aquários tão rápido quanto ervas daninhas crescem em jardins. O desequilíbrio também é prejudicial, pois quanto maior a intensidade luminosa, menos amônia é necessário para desencadear a proliferação de alguma alga verde, por exemplo. Apesar das plantas competirem diretamente com as algas, em aquários high-tech1 o aparecimento de algas é mais frequente e mais acentuado do que em aquários low-tech2 ou fish only3, justamente pela maior intensidade luminosa e maior disponibilidade de nutrientes.

Não somente o excesso de nutrientes, mas também a falta desses pode causar algas, pois quando ocorre uma deficiência de algum elemento essencial o crescimento das plantas é comprometido, favorecendo as algas nessa situação. Outro fator importante é a temperatura, pois essa tem influência direta no metabolismo das algas, regulando a velocidade absorção de nutrientes e suas taxas de crescimento. Por isso, é preciso avaliar o que você pode estar fazendo de forma correta e de forma errada, buscando enumerar e obter possíveis soluções para o seu problema. Alguns critérios importantes para serem observados são:

- Possuir um sistema de filtragem eficiente para eliminar o excesso de matéria orgânica e garantir uma boa circulação da água. A amônia é o produto inicial da decomposição da fração nitrogenada da matéria orgânica e depende de boas mídias biológicas para acondicionar as bactérias benéficas responsáveis pelo processo de nitrificação.

- Adequar a intensidade e quantidade de iluminação para o tipo de aquário que você possui. Um aquário low-tech não pode possuir muita intensidade luminosa porque não tem injeção de CO2. Evite deixar o aquário próximo a janelas com luz solar direta.

- Manter os parâmetros da água sempre estáveis realizando testes com os produtos da linha Labcon e efetuar TPAs (trocas parciais de água) regulares para renovar a água do seu aquário e evitar o acúmulo de substâncias indesejáveis. Avalie também sua água de reposição, pois muitas vezes essa água já contém alguns elementos em quantidades desfavoráveis.

- Manter a temperatura adequada para sua fauna e evitar oscilações térmicas bruscas. Se a água aquecer rapidamente o processo de decomposição é acelerado e as bactérias benéficas não serão capazes de eliminar os picos de amônia, favorecendo o desenvolvimento de algas.

- Oferecer alimentos que apresentam alta digestibilidade e em uma quantidade que seja consumida em até cinco minutos. As sobras aumentam consideravelmente os níveis de fosfato na água, por isso devem ser retiradas.

- Aquários plantados devem possuir um nível adequado de CO2 e flutuações desse parâmetro devem ser evitadas. Quanto à dosagem de nutrientes, avaliar se a proporção de cada elemento está corretamente distribuída. Não interrompa o fornecimento de nutrientes se algas aparecerem, as plantas poderão ser afetadas, comprometendo seu desenvolvimento, favorecendo as algas dessa maneira.

- Remover fisicamente os focos de algas que aparecem, para evitar que se espalhem ainda mais. Inserira também comedores de algas em seu aquário, como comedor-de-alga-chinês, comedor-de-alga-siamês, cascudinho-limpa-vidro, camarões e caramujos.

Algas verdes, algas marrons, algas-peteca... não é possível se livrar completamente delas. Mesmo os aquaristas mais experientes sabem que não conseguem controlar a Mãe Natureza. Apesar disso, se você adotar boas práticas de manutenção e possuir os equipamentos necessários, é possível manter um aquário esteticamente lindo e visualmente livre de algas.

1 Aquário com plantas exigentes que dependem de luz intensa, sistema injetor de CO2, fertilização líquida e substrato fértil. Também chamado de aquário plantado.
2 Aquário com plantas de baixa manutenção.
3 Aquário somente com peixes.

Autor: Anderson Kassner Filho, Biólogo
Colaboradores: Eva Schneider, Graduanda em Medicina Veterinária e
Max Ternero Cangani, Mestre em Microbiologia Agropecuária, Doutor em Zootecnia

Aprenda a montar e cuidar de seu aquário no Guia Seu Novo Aquário
Dúvidas? Escreva para nosso Depto. Técnico


Agradecemos por seu feedback! Esta sua ação é muito importante para nós, pois nos inspira a continuar criando conteúdos interessantes e acessíveis, que possam lhe auxiliar cada vez mais a manter seu pet sempre saudável e feliz :)

subir