06 julho 2012 ~ 0 Comentário

Como criar calopsitas?

Parentes dos Papagaios e Cacatuas, as Calopsitas (Nymphicus hollandicus) são originárias da Austrália e foram descritas pela primeira vez em 1792. Chegaram ao continente europeu, trazidas por expedições, por volta do ano 1840. Atualmente, junto com seus “primos”, os Periquitos Australianos (Melopsittacus undulatus), são os psitacídeos mais criados no mundo.

De fácil criação e vida longa, em média 18 anos (desde que bem cuidadas), as Calopsitas são recomendadas para quem deseja ter um belo pássaro sem muito trabalho.

No seu habitat natural, as Calopsitas vivem em bandos e gostam de nidificar (construir ninhos) em troncos de árvores mortas. São encontradas próximas a rios e cachoeiras e suas migrações são controladas pelo ciclo das águas.

Através de cruzamentos selecionados, partindo da coloração original amarelo-acinzentada, atualmente encontramos vários padrões de coloração, entre eles o canela, o arlequim e o prata. O adestramento das Calopsitas requer muita paciência e não são todas que aprendem, porém os resultados são recompensados com belos assobios e a repetição de algumas músicas.

Reprodução

O primeiro passo para reproduzir as aves é diferenciar os machos das fêmeas. As Calopsitas cinza silvestre (mutação original) apresentam dimorfismo sexual, sendo que os machos possuem a coloração facial amarelada mais intensa. As outras mutações não possuem diferença entre os sexos é necessário realizar um exame de DNA para formar os casais. Essa seleção deve ser feita quando os animais são jovens, pois eles escolhem os parceiros e são fiéis a eles.

O casal permanece o tempo todo junto e interagem com afagos e carinho. A fêmea coloca em média 5 ovos por postura. O trabalho de chocar os ovos é compartilhado entre o casal. Os ovos eclodem após um período médio de 18 dias e os filhotes estão prontos para deixar o ninho após 30 dias aproximadamente e passam a reproduzir o comportamento alimentar dos pais.

Manutenção

Necessitam de bastante espaço para que possam voar e saltar de um poleiro para outro, sendo interessante uma gaiola mais comprida do que alta. Uma gaiola de 1m x 30cm x 40 cm é o mínimo para uma Calopsita. A gaiola também deve conter um ninho tipo caixa com cerca de 35cm de altura e 20cm nas laterais. Um comedouro, bebedouro e água para banho em uma tigela são fundamentais.

A gaiola deve ser colocada em um local ventilado, que receba sol pela manhã, mas que não pegue correntes de ar. A limpeza diária é fundamental para o bem estar destas belas aves. É importante também que o animal tenha algo com o que se distrair, como poleiros com diversas espessuras, coisas que possa roer e espaço para voar ou mesmo escalar.

Alimentação

Para Calopsitas indico como dieta de manutenção Alcon ECO Club Calopsita, uma ração extrusada de alta digestibilidade que atende totalmente às exigências nutricionais destes animais. Esta ração foi desenvolvida para perfazer 100% da alimentação diária destes animais. Contém Prebiótico que promove o crescimento seletivo de bactérias benéficas presentes nos intestinos, melhorando o aproveitamento dos nutrientes e reforçam o sistema imunológico. Seu uso evita problemas nutricionais, como excesso de gordura e deficiência de vitaminas, freqüentes nas dietas à base de sementes. Apresenta textura e formato que facilitam o bom aproveitamento do alimento pelas aves. O uso continuado do produto melhora o estado nutricional da ave, aumentando sua resistência, a vitalidade e a beleza das penas.

Nos períodos de maior exigência nutricional, como muda de penas, estresse, convalescença e reprodução, recomendamos o uso diário de Alcon Club Farinhada com Ovo para Psitacídeos ou Alcon Club Top Life, associado a dieta de manutenção.

Abraços!

Dr. Fala

www.alconpet.com.br

Assunto X